Publicado em Auto Estima, Beleza, Bem Estar, Dicas de beleza, Perfumes

Durabilidade da fragrância: veja 7 mitos e verdades

Garantir a durabilidade da fragrância por mais tempo é que muitos querem, principalmente quando temos um dia longo de trabalho, ou até mesmo um passeio. Ficar com a fragrância por mais tempo possível é sempre muito bom. Porém alguns requisitos são necessários desde cuidados com a pele até a forma como armazenamos a fragrância.

mulher passando perfume

Do lugar onde você guarda à composição, são várias as razões que fazem sua fragrância preferida durar mais ou menos tempo na pele.

Leia também:

Maquiagem: Como evitar dez erros comuns ao usar o delineador

Como fazer com que uma fragrância permaneça intensa por longas horas? Parece complexo, mas não é. Hábitos simples, como uma boa hidratação do corpo, fazem toda a diferença. Mas não para por aí. Para garantir que você sinta seu aroma favorito por muito tempo e desmistificar os boatos, desvendamos o que é mito e o que é verdade quando o assunto é fixação. Confira!

1- Existe fixador de perfume: MITO

Há quem acredite que exista uma substância fixadora específica na composição de determinadas fragrâncias, mas isso não é verdade. Elas são compostas basicamente por álcool, essência – também conhecida como óleo essencial – e água. O detalhe que faz o aroma permanecer por um longo tempo na pele é basicamente a concentração e a qualidade de cada um desses ingredientes, especialmente da essência.

2- A duração depende do tipo de pele: VERDADE

Alguns tipos de pele são, sim, beneficiados pela ação duradoura das fragrâncias. Esse é o caso das oleosas. Tudo isso porque o excesso de óleo e os poros mais dilatados, próprios desse tipo de pele, ajudam os ingredientes a penetrar com mais facilidade. Já quem possui uma tez seca nota o aroma se esvair com facilidade.

3- O tipo de fragrância influencia na fixação: VERDADE

Lembra o primeiro item, quando falamos que a concentração dos ingredientes interfere na fixação da fragrância? Pois é, isso é tão importante que até a nomenclatura do produto muda de acordo com esse detalhe. Na comparação, enquanto águas de cheiro e colônias têm baixa concentração de essência e, por isso, duram menos na pele, o deo parfum carrega uma dose um pouco maior do ingrediente e o parfum tem máxima concentração. Quanto mais essência, maior a intensidade e durabilidade.

4- Dependendo de onde é aplicada, a fragrância dura mais: VERDADE

As regiões do corpo com maior circulação de sangue são as mais quentes e, por isso, estratégicas na hora de fazer a fragrância durar por um longo tempo. Elas também carregam o benefício de exalar melhor os aromas. Não à toa, é sempre fácil sentir a fragrância no pulso, por exemplo. A área atrás das orelhas e as dobrinhas do corpo, como as dos braços e das pernas, entram na lista das mais indicadas na hora de aplicar o produto.

mulher passando perfume

5- O grau de hidratação da pele não importa: MITO

O fato de oleosa, que tende a ser mais emoliente, fixar melhor as fragrâncias, é a prova de que manter o corpo hidratado faz toda a diferença – especialmente, para quem tem uma tez seca. Quer potencializar o efeito? Abuse dos cremes hidratantes para o banho ou use seu preferido logo após deixar o chuveiro. A umidade da pele ajuda na absorção do produto. Logo em seguida, já aplique a fragrância. Vai fazer toda a diferença!

6- A fixação independe do caminho olfativo da fragrância: MITO

Famílias olfativas com aromas mais intensos têm duração maior, difíceis de passar despercebidas. Por isso, amadeiradas e florais costumam ter melhor desempenho. Já frutais e cítricas podem ser mais discretas quanto à durabilidade.

fixação da fragrância

7- O lugar onde eu guardo meu produto não faz diferença: MITO

As fragrâncias precisam ser conservadas de acordo com as indicações do rótulo, assim como os cosméticos em geral. Se mantidas em locais muito quentes, elas podem perder seus efeitos. Então, evite o banheiro e, na dúvida, opte sempre por manter o item em um lugar fresco e seco! 

Leia também:

Pele saudável no inverno: dicas de como manter

Publicado em Bebê, Maternidade, Pele de Bebê, Recém-Nascido

Pele do recém-nascido: como cuidar

Cuidar da pele do recém-nascido requer alguns cuidados, porém não é uma tarefa difícil. Neste post vou falar sobre minha experiência com meus dois filhos e como deve ser o cuidado com a pele do recém-nascido.

Recém-nascido no colo da mãe

Os cursos de gestantes recomendam: nos primeiros 30 dias de vida do bebê, o “banho” íntimo deve ser feito exclusivamente com algodão e água, sem nenhum tipo de sabonete ou loção. É sempre recomendado poupar a pele delicada do recém-nascido, usando o mínimo de produtos, apenas para atender às necessidades de higiene e cuidado. Afinal, nessa fase, o recém-nascido está mais suscetível a algumas irritações ou alterações cutâneas, naturais da aclimatação.

Leia também: 

Planejando a gravidez? Veja 10 cuidados necessários antes de engravidar

Recém-nascido tomando banho

 

Portanto não precisa se preocupar em deixar o bebê cheiroso, passar condicionador ou hidratante. Na realidade não é necessário, pois nessa fase a pele do recém-nascido está passando por uma adaptação ao ambiente. É nessa fase que acontece as escamações da pele do recém-nascido porque está trocando de pele. O recomendado pelos pediatras é deixar isso acontecer ao natural.

No couro cabeludo também pode aparecer escamações e, portanto não deve passar nada, nem óleo vegetal. 

Leia também:

 

Cuidados essenciais com a pele do bebê e criança

  • Questão de pele 

Imagine crescer por nove meses em um ambiente líquido e, de repente, ter que viver em meio seco. Nascer é a primeira mudança radical que todos nós enfrentamos e a adaptação fora da barriga da mãe é um desafio. Da respiração à alimentação. E a pele também exige atenção especial, porque é ela que protege, mantém a hidratação e a temperatura do corpo. 

Recém-nascido tomando banho

Compare a sua pele com a do seu bebê e sinta a diferença nítida. Por mais que a sua pele seja bem cuidada, a dele é insuperável. Não é à toa que essa maciez se transformou em expressão popular e quando queremos destacar a suavidade e a delicadeza, apelamos ao adjetivo “bumbum de bebê”.

Pele de recém-nascio

Leia Também:

Ciúme do irmão mais novo: minha experiência e dicas de como lidar

  • Minha experiência:

A mudança de pele aconteceu igual no meus dois filhos e, o cuidado que eu tive, foi o mesmo. Desde o primeiro banho só utilizei o sabonete glicerinado, na cabeça e no corpo. Os meninos tiveram escamações da pele do corpo e da cabeça e, nesse caso, não passei produto nenhum, somente o banho com o sabonete. Conforme o tempo foi passando as escamações foram desaparecendo naturalmente.

Recém-nascido com a pele descamando

Leia também:

Gravidez: produtos necessários para os cuidados com a pele

Fonte:

https://www.natura.com.br/blog/mais-natura/como-cuidar-da-pele-do-recem-nascido?consultoria=jupaiva

Me conta sua experiência!

Me siga no Instagram: @blog_da_jupaiva